Principal Matérias Velocidade na Terra Piloto paranaense retorna ao rali de regularidade e completa o Rally Transparaná 2021

Piloto paranaense retorna ao rali de regularidade e completa o Rally Transparaná 2021

Os competidores encararam muito calor, poeira e etapas de alto nível técnico ao longo de quatro dias de disputas e cerca de 1 mil quilômetros, entre as cidades de Foz do Iguaçu e Curitiba

A dupla Marcos Bezerra e Willian Santos durante o Transparaná 2021 (Paulo Valente)

O Palácio Iguaçu – sede do governo do Estado do Paraná, em Curitiba (PR) foi o palco da chegada do 27º Transparaná – um dos maiores eventos off-road do Brasil –, que teve largada no dia 16 de fevereiro, da cidade de Foz do Iguaçu, tendo como cenário principal, o Parque Nacional Iguaçu. No grid estiveram alinhados 93 veículos, divididos nas categorias Máster, Graduado, Turismo, Light e Adventure.

Organizado pelo Jeep Clube de Curitiba, o Transparaná teve aproximadamente 1 mil quilômetros, com pernoites em Cascavel, Guarapuava e Irati. O roteiro cruzou dezenas de cidades, entre elas Laranjeiras do Sul, Goioxim, Palmeirinha, Guará, Imbituva, Porto Amazonas e São Luiz do Purunã.

Entre os participantes esteve a dupla Marcos Bezerra e Willian Santos – a prova marcou o retorno do piloto paranaense às trilhas após cinco anos de ausência. “Foi um excelente Transparaná, com provas técnicas, bem medidas, vários laços e balaios. O tempo estava seco e, devido as características do terreno, na maior parte do percurso, levantamos muita poeira. Poucos foram os setores com barro”, descreveu o piloto Bezerra, destacando ainda os trechos com pedras e erosão.

Devido à problemas na linha de combustível por três dias consecutivos, Bezerra e Santos não tiveram chances de lutar pelo pódio da categoria Máster, e terminaram a competição na 12ª posição. “Mesmo diante desta situação, melhorávamos a nossa performance dia a dia, tanto que se não tivéssemos quebrado na última etapa, pelas parciais, teríamos feito um terceiro lugar”, lamentou o piloto. “Mas foi um grande aprendizado e acredito que isso tenha sido o mais importante neste meu retorno às competições. Serviu como preparação para as demais provas que faremos em 2021″, refletiu ele, convicto de que a dupla possui condições de andar junto com o pelotão da frente e, com um pouco mais de prática, preparação e algumas melhorias no carro, fará com que eles voltem a ter melhores resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Obras da pista de arrancada de Foz do Iguaçu estão a todo vapor

A pista de Foz do Iguaçu consolidará a região Oeste do Paraná como pólo de arrancada com p…