Acidente em Mônaco

Paul Hawkins caiu na baía de Mônaco, mas nada sofreu.

 

Em 1965, o piloto australiano Paul Hawkins, a bordo de um Lotus 33, da WD Racing  Interprises, na 79ª volta perdeu o controle do carro e caiu nas águas da baía de Mônaco. O piloto nadou até a superfície, foi resgatado pelos barcos, e além do susto, nada mais sofreu.

Um episódio parecido acontecera 10 anos antes, no mesmo lugar. O bicampeão mundial de Fórmula 1 (1952 e 1953), Alberto Ascari, liderava o GP de Mônaco e  na 80ª volta bateu na chicane e caiu ao mar. Diferente de Hawkins, Ascari fraturou o nariz e teve pequenas escoriações.

Hawkins teve uma passagem rápida pela Fórmula 1, fez apenas três corridas em 1965, mas ganhou reputação nas corridas de Turismo e Endurance guiando Porshes e Lolas.

Outra curiosidade acerca de Hawkins e Ascari é que os dois faleceram no dia 26 de maio. Ascari em decorrência de uma forte batida numa chicane em Monza, na Itália, na semana seguinte ao acidente em Mônaco, testando uma Ferrari F750, sem nenhum compromisso profissional. 14 anos mais tarde, com chuva e no comando de um Lola T70 na corrida no RAC Tourist Trophy, em Oulton Park, no Reino Unido, Hawkins morreu depois  entrar em alta velocidade em uma curva e bater  o carro, que pegou fogo. Quando o socorro chegou no local, nada mais podia ser feito.

Anos depois, o companheiro de equipe de Hawkins, Brian Redman, declarou que a causa mais provável do  acidente fatal poderia ter sido uma suspensão quebrada no carro, em vez de ter sido um erro do piloto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Fotos dos treinos no Raceland Internacional 08/05/2020

Os interessados em adquirir os arquivos originais das fotos podem entrar em contato pelo w…