Brasileiro é um dos pilotos com mais sucesso no mundo neste segmento do automobilismo

Felipe Drugovich (iRacing)

Em tempos de total inatividade do automobilismo em praticamente 100% do mundo por conta da pandemia do Coronavírus, a maior parte dos pilotos tem se valido das competições virtuais para manter seus reflexos em dia. E um dos pilotos que mais tem obtido sucesso nas corridas virtuais espalhadas pelo mundo é o brasileiro Felipe Drugovich, que integra a equipe holandesa MP Motorsport na Fórmula 2 FIA no mundo real.

Considerando apenas os principais eventos do mundo virtual, o piloto de Maringá (PR) que atualmente reside na Itália, venceu 14 vezes e na última quarta-feira, com cinco vitórias em dez corridas, sagrou-se campeão do Desafio Virtual das Estrelas, campeonato disputado por dezenas de pilotos das mais diversas categorias, dentre eles Rubens Barrichello, Felipe Massa, Felipe Nasr e Tony Kanaan. Para chegar ao título, Drugovich somou 145 pontos, 65 à frente de Dudu Barrichello, o segundo colocado. Enzo Fittipaldi foi o terceiro, com 66 pontos.

“Desde que voltei para a Itália depois de passar algumas semanas na Holanda por causa do Coronavírus, competi em muitos campeonatos virtuais, não necessariamente inteiros”, conta Felipe Drugovich, 19 anos. “Correr de forma virtual está sendo muito divertido e também permite me manter em atividade, principalmente mental”, completa.

Em duas participações no Real Racers Never Quit, evento virtual organizado pela Redline e que teve participação de Max Verstappen, Lando Norris e Antônio Félix da Costa, o piloto brasileiro foi o vencedor em uma. No April Isolation Felipe Drugovich venceu o campeonato de abril, que teve a participação de vários pilotos da Fórmula 2 e Fórmula 3, e também de Lando Norris e Nicholas Latifi. A vitória neste evento valeu como prêmio para Felipe Drugovich ingressos para assistir as 500 Milhas de Indianápolis.

Nas corridas virtuais promovidas pelo site F1 Mania, Felipe Drugovich também deixou sua marca. Disputadas em rodadas duplas, com soma dos dois resultados, o brasileiro da Fórmula 2 FIA venceu uma bateria em cada etapa e, no “pódio”, foi o primeiro colocado em uma e segundo em outra.

Pilotos do Brasil, da Argentina e do México – 12 de cada país – se enfrentam no Desafio de Las Naciones, campeonato que já realizou duas etapas, uma delas com vitória de Felipe Drugovich. E no Race Brasil Real Drivers Challenge, que já disputou três rodadas triplas, o brasileiro venceu três corridas.

Por fim, também preocupado em auxiliar os mais necessitados neste momento de preocupação mundial, Felipe Drugovich foi um dos organizadores do Race For Health, ao lado de Sérgio Sette Câmara e Gabriel Bortoleto. Disputando uma corrida de 1h30min em dupla com o francês Tom Dillmann, Drugovich igualmente foi o vencedor da competição, que arrecadou fundos para a organização Médicos Sem Fronteira.

“Além de utilizar estas provas virtuais para manter em dia os reflexos e a mente, participar disso é muito bom por poder competir com pilotos de alta qualidade técnica”, explica Felipe Drugovich. “Conhecemos muita gente e isso também é muito bom. Em um momento em que não se pode fazer nada na pista, disputar corridas virtuais – e em algumas vezes poder ajudar – é o melhor que podemos fazer”, finaliza.

Felipe Drugovich tem o apoio de Drugovich Auto Peças, que atua no ramo de peças para caminhões e ônibus, e da Noma, destaque no segmento de implementos rodoviários.

KG COM Assessoria de Comunicação – Erno Drehmer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Léo Sanchez encara rodada tripla em Interlagos para subir na classificação da Porsche Cup

Na disputa direta pela liderança da categoria GT3 Sport do Porsche GT Cup, o piloto paulis…