Como prêmio, o piloto recebeu uma réplica do troféu que Ayrton Senna conquistou no GP Brasil de 1991, em uma corrida de extrema superação

O domingo, do dia 24 de março de 1991, ficou marcado para sempre na memória de todos os brasileiros, e de grande parte do mundo. Com apenas a 6ª marcha e abaixo de chuva, o ídolo do automobilismo mundial, Ayrton Senna, conquistou a vitória no GP Brasil, a primeira em casa. Um dia histórico e de grande emoção.

O sábado, do dia 25 de janeiro de 2020, também será memorável para o jovem piloto Alfredinho Ibiapina (Orcali), e para quem acompanhou a corrida Final da 1ª edição do Troféu Ayrton Senna de Kart.  A competição, realizada no Kartódromo SPeed Park, em Birigui-SP, palco do Mundial da modalidade neste ano, marcou a estreia do piloto na categoria Júnior Menor em grande estilo.

O Troféu Superação conquistado por Alfredinho Ibiapina é uma réplica do troféu do GP Brasil de Fórmula 1, de 1991, em que Ayrton Senna venceu na chuva e fez as últimas voltas apenas com a 6.a marcha.

O piloto não venceu a prova, mas foi o destaque da competição, conquistando 17 ultrapassagens em 20 voltas, depois de sair do último lugar do grid formado por outros 19 concorrentes. O motor do kart numeral 8 quebrou na 2ª bateria classificatória, que definia o grid de largada para a Final. Triste com a situação, Alfredinho Ibiapina se inspirou no ídolo Ayrton Senna para superar as adversidades e transformar o problema em motivação.

“Na cerimônia de abertura a organização passou um filme do Ayrton Senna no telão. Quando eu vi o rosto do meu ídolo e comecei a ouvi-lo, parecia que ele estava ali e que aquelas palavras eram diretamente para mim. Isso me emocionou e me fortaleceu. Antes de entrar no meu kart eu fiz uma oração, pedi proteção a Deus, que me guiasse, e agradeci ao Senna pelas frases de motivação, declarou Alfredinho Ibiapina.

As manobras de ultrapassagens chamaram a atenção dos cinegrafistas que transmitiam a prova, do narrador e dos comentaristas. O público vibrava a cada volta. Alfredinho Ibiapina recebeu a bandeira quadricula em 3º lugar, mas comemorou como se fosse o primeiro.

“Para mim foi uma vitória, assim como foi no Sul-americano em que larguei de 25º e terminei em 3º lugar no ano passado, pela Cadete. Mas esta foi mais que especial. No final da premiação do pódio de todas as categorias eu fui surpreendido pelo organizador do evento com o prêmio Superação, uma réplica do troféu que Ayrton Senna ganhou no GP Brasil de F-1, em 1991. É emocionante ter esta peça nas minhas mãos. Esta conquista não é só minha, é da equipe A8 Racing (Jefferson Neves, Jonas Milan, Jeison Teixeira), que têm uma dedicação incrível por mim,  do meu pai, grande incentivador não só meu, mas do esporte, da minha mãe, minha maior fã, da Orcali, empresa que me patrocina, e de todos aqueles que me acompanham e torcem por mim. O meu muito obrigado a todos vocês”, finalizou o piloto.

Mais informações sobre o piloto nas redes sociais www.alfredinhoibiapia ou no Instagram @alfredinhoibiapina.

Texto e fotos: Eni Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Londrina volta a receber o Paranaense Light de Kart após meses de espera por conta da pandemia

Primeira etapa será realizada no próximo sábado, dia 3, no Kartódromo Luigi Borghesi Depoi…