Principal Sem categoria Após competir nas 5 modalidades, maranhense anuncia que no Sertões 2021 acelera de novo nos UTVs

Após competir nas 5 modalidades, maranhense anuncia que no Sertões 2021 acelera de novo nos UTVs

9 minutos para ler
0
13

Piloto Fábio Cadasso faz balanço positivo da sua nona participação e escolhe a modalidade que mais cresce no grid na última década, para continuar competindo nas próximas edições do maior rali das Américas

Cadasso e Carvalho na última etapa em Barreirinhas, no litoral maranhense (Marcelo Maragni/Fotop)

Único piloto dos 28 anos de história do Sertões a competir em todas as modalidades do grid – caminhões, carros, motos, quadriciclos e UTVs –, o maranhense Fábio Cadasso diz que, apesar de amar as duas rodas e a liberdade que oferece, aprovou a experiência desta edição e já decidiu que para 2021 voltará a competir nos UTVs. “Todas as modalidades são desafiantes! Digo isso pois competi nas cinco como um iniciante no Sertões. Mas, hoje, digo que a que mais me adaptei ao veículo foi o UTV. Realmente é a categoria que mais cresce por ser a mais segura e a prazerosa e vou ficar nessa categoria”, anuncia o piloto após finalizar, no último dia 7, sua nona participação no maior rali das Américas.

Após a euforia da chegada e com a volta à rotina em São Luís (MA), Cadasso e o navegador Artur de Carvalho fazem um balanço positivo da participação no Sertões. A sensação é de dever cumprido e gratidão por mais uma edição completada com êxito – em 7º na UTV Over 45 -, desta vez, entre Mogi Guaçu (SP) e o Barreirinhas, um território familiar para dupla da Cadasso Racing, que costuma fazer trilhas pela região dos Pequenos Lençóis Maranhenses.

“Sempre é bom chegar ao final de um Sertões, subir na rampa e ver o olhar de felicidade de cada um da equipe. É uma satisfação incrível”, descreve Cadasso que pilotou um Can-Am Maverick X3. “Feliz com o nosso resultado e agradeço ao meu navegador Arturzinho, a nossa equipe incrível e principalmente aos nossos patrocinadores por terem acreditado mais uma vez no nosso potencial. Dedico esse Sertões aos meus filhos, Maria Clara e Tamer. Meu maior troféu é voltar para eles bem”, completa o piloto que nas últimas sete edições compete com equipe própria.

Já Carvalho concluiu seu segundo Sertões, mas o primeiro ao lado de Cadasso, e ressalta os desafios da prova. “Um ano totalmente diferente pedia um Sertões diferente, em vez da poeira típica, muita chuva e lama, terrenos não muito ideais para o Cross Country. Saímos de São Luís com o objetivo de completar a prova e garantir ao Fabio o recorde de participação em todas as categorias e conseguimos, mesmo sem treino. O pódio, dessa vez, não veio, mas fica a satisfação e o orgulho de poder representar o Maranhão no maior rali das Américas. Agradeço ao Fábio pelo convite, a nossa equipe e aos patrocinadores”, destaca o navegador.

E, aos 54 anos, Cadasso explica o motivo pelo qual retorna todos os anos ao grid com a mesma garra e espírito de superação. “O prazer de correr e competir no Sertões faz com que me sinta sempre com o espírito aventureiro de um menino. O amor pela natureza e pela velocidade me faz trabalhar o ano todo e tirar férias para competir no Sertões. Mas representar o meu estado que amo tanto é um prazer imenso”, finaliza.

Nesta edição, o roteiro de aproximadamente 4.700 quilômetros, cruzou os estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Maranhão e o Distrito Federal, entre 30/10 a 7/11. Programado para ter sete etapas, teve duas canceladas devido ao mau tempo, mas as cinco Especiais (trechos cronometrados) técnicas, exigentes e desafiantes agradaram os competidores. A 29ª edição já tem data marcada: de 13 a 21 de agosto de 2021.

Trajetória – Fábio Cadasso estreou no grid do Sertões em 2012, na categoria Caminhões Leves, pela Ford Racing Trucks/Território Motorsport, quando ficou em 3º lugar na categoria.  Em 2013, pilotou um Troller da equipe Troller Racing/Território Motorsport e terminou em 3º na Production T2.  No mesmo ano, conquistou os títulos Brasileiro e Paulista de Rally Cross Country 2013, na categoria Caminhões Leves. Dois anos depois retornou ao grid e passou a competir com equipe própria, com uma Pajero TR4 e foram três anos com pódio: 5º lugar em 2015, 2016 vice-campeões e 2017 em 5º lugar, sempre na Production T2. Guerreiro, encarou a edição de 2018 de moto (CRF 250cc) e foi o único ano que não conseguiu completar, pois se acidentou. Em 2019 disputou nos quadris (700cc) e fechou em 5º na categoria e 2020 estreia nos UTVs. A equipe Cadasso Racing, seguindo o projeto iniciado em 2016, neste ano, doou 300 livros para a ação social do Sertões, que serão distribuídos para crianças ou escolas. Mais informações: Facebook/ @pilotofabiocadasso, Instagram/@equipecadassoracing e Twitter/@equipecadassoracing

A equipe Cadasso Racing tem patrocínio do Governo do Estado do Maranhão, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, e do Grupo Mateus, e apoio da Off-Road SLZ.

Assessoria de Imprensa – Equipe Cadasso Racing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Thunder Technology venceu o Campeonato Brasileiro de Kart em três das quatro categorias F4

Fabricante de chassis comemora ótimo desempenho também no segmento de motores 4 tempos Ven…