Singularidades como o ruído que lembra um zumbido de abelha seguem despertando paixão entre os aficionados por motociclismo. MXF Motors aposta no mercado e apresenta nova versão de modelo

Moto 2 tempos MXF 250ts 2020 Divulgação MXF Motors

Elas experimentaram momentos épicos – como o protagonismo nos anos 1970. Voltaram a ter destaque na atual década e, ao que tudo indica, não se trata de mera moda não. De fato, vieram para ficar.

Tratam-se das motos 2 tempos – nomenclatura que faz referência à dinâmica de funcionamento do motor. Existem motores “dois tempos” e motores “quatro tempos”. Os motores de dois tempos são aqueles cujo processo de operação se realiza, como o nome diz, em duas etapas.

Essa dinâmica de operação dá às motos 2 tempos algumas características bem peculiares – e são justamente essas especificidades que despertam a paixão dos aficionados por motos, motociclismo ou automobilismo de um modo geral. Além da leveza e do custo de manutenção menor, o barulho do motor e até o cheiro particular da fumaça concedem singularidade às 2 tempos.

Quem explica os detalhes é o engenheiro mecânico, Luiz Henrique Fontes, diretor técnico da MXF Motors. A montadora, que tem sede em Curitiba (PR), é especializada em motos e quadriciclos off-road, e em patinete elétrico para deslocamento urbano. A empresa está apresentando ao mercado a edição 2020 de um de seus dois modelos de motos 2 tempos, a MXF 250ts. A primeira versão foi lançada no final de 2018.

“As motos 2 tempos são muito cultuadas principalmente pelos amantes off-road ‘old school’, ou seja, os mais veteranos, que puderam usar muito esse tipo de motor no passado. Gradativamente, os mais novos aprenderam, e todos amam aquele som característico dos motores 2 tempos”, narra Luiz Henrique.

O barulho, continua o diretor da MXF Motors, faz os apaixonados compararem o motor a “abelhas”. “E tem também aquele inconfundível ‘perfume’ da fumaça do motor 2 tempos”, acrescenta Luiz Henrique.

Demonstração de que as motos 2 tempos atraem novas gerações de motociclistas é o fato de os modelos estarem, novamente, em ascensão. “Houve, a partir de 2010, 2011, uma tendência mundial de retorno das motos 2 tempos, que está se consolidando. Isso pela simplicidade construtiva dos motores, pela fácil obtenção de potência que propiciam”, lista Luiz Henrique.

O surgimento de diferentes modalidades de competições off-road contribuíram com esse processo, avalia o diretor da MXF Motors. “Houve o aparecimento de modalidades que ‘encaixavam’ nesta motorização, como ‘hard enduro’, provas indoor com obstáculos naturais – como o mundial de super enduro, que inclusive teve duas etapas no Brasil”, exemplifica Luiz Henrique.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Aqueçam os motores para a abertura do Pro Tork Paranaense de Velocross

Evento acontece nos dias 17 e 18 de outubro, em Candói, seguindo rígido protocolo de segur…