Pista receberá o Campeonato Paranaense Light este ano e a Copa Brasil em 2021 e passa por várias reformas e melhorias

Vista geral do Kartódromo Luigi Borghesi, com destaque para o novo paddock

Sede da próxima Copa Brasil, Londrina é tradicional na história do kartismo paranaense e brasileiro. Em outubro serão completados 53 anos que a cidade sediou sua primeira corrida de kart, naquela época realizada nas ruas da cidade, mais exatamente ao redor da praça da Paróquia Nossa Senhora das Graças, no Jardim Petrópolis.

Aquela prova, denominada “1 Hora de Kart de Londrina”, foi disputada no dia 3 de outubro de 1967 e transformou-se em um marco para a organização do automobilismo no interior do Paraná, servindo também como impulso para o surgimento da primeira geração de pilotos de Londrina.

A “1 Hora de Kart de Londrina” foi realizada em um circuito improvisado e, como proteção nas curvas, foram usados sacos de pó de serra e também cordas, para isolamento dos espectadores. Inédita, a iniciativa atraiu uma multidão ao local da prova, vencida por Beto Monteiro e que teve a participação de Emerson Fittipaldi, na época o piloto de maior destaque no automobilismo brasileiro e que em breve chegaria à Fórmula 1, onde se tornaria bicampeão em 1972 e 1974.

Muitos anos já se passaram e desde 1999 a cidade de Londrina recebeu em seu Kartódromo Luigi Borghesi inúmeras competições, dentre as quais se destacam o Campeonato Brasileiro (1999), o Campeonato Sul-Brasileiro (2006, 2013, 2018 e 2019), o Campeonato Paranaense (2010, 2012 e 2017) e o Campeonato Paranaense Light (2013, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019).

Administrado pela Associação de Kartistas da Região de Londrina (AKRL), hoje presidida pelo piloto Júlio Conte, o Kartódromo Luigi Borghesi passou e passa por inúmeras reformas e implantação de melhorias. O objetivo é entregar aos pilotos e suas equipes, preparadores e mecânicos uma estrutura condizente com a importância que cada um tem dentro do esporte.

“Dentre as obras mais importantes já prontas podemos citar o novo Parque Fechado, o paddock e a instalação de uma nova balança”, destaca Júlio Conte. “Agora vamos partir para a iluminação da pista, um trabalho demorado e essencial para nosso kartódromo”, completa o presidente.

Fora da pista, a diretoria trabalha com a expectativa de poder liberar o kartódromo para treinos e corridas do Campeonato Paranaense Light em breve, obedecendo, é claro, todas as recomendações e exigências das autoridades em saúde do município. “Isso é muito importante, especialmente para os mecânicos e preparadores da nossa região, que não trabalham há mais de dois meses e precisam sustentar suas famílias e pagar suas contas”, finaliza Júlio Conte.

O Kartódromo Luigi Borghesi e a cidade de Londrina receberão a 22ª edição da Copa Brasil de Kart no próximo ano. Adiada de outubro de 2020 para fevereiro de 2021 em função da pandemia do Coronavírus e considerada a segunda competição mais importante do kartismo nacional, a Copa Brasil reunirá pilotos e equipes de todo o Brasil.

Por Erno Drehmer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

5ª etapa do Campeonato Paulista de Automobilismo conta com piloto Diogo Moscato

Após fim de semana em Birigui com problemas no kart, atleta busca pódio neste domingo, em …