Único piloto gaúcho no primeiro ano da Copa Truck volta a receber bandeira quadriculada depois de três etapas enfrentando problemas

Régis Boessio terminou a temporada da Copa Truck com um sexto lugar na etapa de Interlagos

Em uma temporada de altos e baixos, Régis Boessio conseguiu fechar a disputa da Copa Truck em 2017 com motivos para comemorar. Depois de ficar fora da disputa pelo pódio na primeira corrida da etapa final, disputada domingo (17) no autódromo de Interlagos, o piloto gaúcho da Boessio Competições foi o sexto colocado na prova final, resultado que premiou sua prova de recuperação depois de largar da 15ª posição.

“Faltou bem pouco para fechar o ano no pódio”, disse Boessio, citando a diferença de 1s687 que ao fim da corrida o separava de Débora Rodrigues, que completou a formação do pódio na quinta posição. “Para nós foi um grande resultado, principalmente porque foi uma prova muito desgastante para todos os caminhões. E, vindo lá de trás, eu abusei um pouquinho do equipamento, a condição no fim já não era boa”.

O sexto lugar na última das 12 corridas do ano foi visto como redenção pelo único piloto gaúcho da Copa Truck. “Foi uma temporada em que fomos ao céu e estivemos perto do inferno. Começamos o ano muito bem, conquistamos o vice-campeonato da Copa Centro-Oeste. Depois disso amargamos inúmeros problemas com o caminhão nas corridas. É importante lembrar que isso nunca tirou nosso ritmo competitivo”, frisou.

As duas etapas da Copa Nordeste, disputadas nas pistas de Caruaru e Fortaleza, e a primeira etapa da Copa Sul-Sudeste, em Viamão, marcaram os abandonos de Boessio no campeonato. “Tínhamos um problema no motor, que era consequência de uma falha no trabalho de retífica, e isso estava causando vazamentos que comprometeram nossas corridas. Abandonei corridas estando em quarto, em terceiro e na liderança”, enumerou.

Finalizada a temporada de estreia da Copa Truck, evento que viabilizou a manutenção das corridas de caminhões no automobilismo brasileiro, Régis Boessio passa a planejar o campeonato de 2018. “Ao mesmo tempo em que as atenções agora são direcionadas às negociações com os patrocinadores, nós teremos alguns meses para um trabalho minucioso de revisão do equipamento. Vão ser férias bem trabalhosas”, observou.

O piloto e a Boessio Competições planejam desmontar por completo o Volvo número 83, em que exibe as cores e logos de Suspentech, Buffon Rede de Postos e Magrão Auto Peças. “Vamos tirar cada parafuso do caminhão para fazer a revisão mais completa que já fizemos. O equipamento é rápido, precisa só de mais alguns ajustes que, com um trabalho assim, vão nos levar de novo à condição de disputar vitórias”, finalizou.

Grelak Comunicação – Fotos: Marcello Paiva/Grelak Comunicação