Piloto competiu no kart #0 da Equipe Shell Fittipaldi, que andou entre os líderes durante grande parte da prova, e dividiu o carro com os kartistas Diego Ramos e Felipe Baptista.

Equipe Shell Fittipaldi nas 500 Milhas de Kart da Granja Viana (José Mario Dias)

Equipe Shell Fittipaldi nas 500 Milhas de Kart da Granja Viana
(José Mario Dias)

Kart #0 chegou a liderar a prova... (Pedro Rodrigues)

Kart #0 chegou a liderar a prova…
(Pedro Rodrigues)

... e andou sempre entre os líderes na maior parte da corrida (Pedro Rodrigues)

… e andou sempre entre os líderes na maior parte da corrida
(Pedro Rodrigues)

Na pista durante o stint noturno (Pedro Rodrigues)

Na pista durante o stint noturno
(Pedro Rodrigues)

Reunião de estratégia com a Equipe Shell Fittipaldi (Pedro Rodrigues)

Reunião de estratégia com a Equipe Shell Fittipaldi
(Pedro Rodrigues)

Vivacqua com Christian Fittipaldi na Equipe Shell (Pedro Rodrigues)

Vivacqua com Christian Fittipaldi na Equipe Shell
(Pedro Rodrigues)

Pegando dicas com o capitão da equipe (Pedro Rodrigues)

Pegando dicas com o capitão da equipe
(Pedro Rodrigues)

Equipe Shell Fittipaldi no pódio com o kart #2 (Pedro Rodrigues)

Equipe Shell Fittipaldi no pódio com o kart #2
(Pedro Rodrigues)

Felicidade com a boa atuação durante as 500 Milhas (Pedro Rodrigues)

Felicidade com a boa atuação durante as 500 Milhas
(Pedro Rodrigues)

Com o casal Luciano e Juliana da Art Infinity (Pedro Rodrigues)

Com o casal Luciano e Juliana da Art Infinity
(Pedro Rodrigues)

O piloto carioca Thiago Vivacqua viveu momentos de descobertas e redescobertas nesse sábado (dia 16), disputando as 500 Milhas de Kart da Granja Viana, em Cotia, na Grande São Paulo. Há mais de quatro anos sem competir no kart e sem nunca ter participado de uma prova de longa duração, Vivacqua conduziu com muito talento o kart #0 da Equipe Shell Fittipaldi ao lado de Diego Ramos e Felipe Baptista, andando grande parte da prova entre os líderes e chegando a liderar em alguns momentos.

Infelizmente o resultado final não traduziu o que foi a corrida e um problema no motor na reta final da prova, sob o comando de Diego Ramos, tirou as chances de um top-10 para o trio. Com os outros dois karts, a equipe conseguiu colocar o #2 no pódio, em quarto lugar, e o #1 no top-10.

“Foi uma experiência incrível poder participar de um evento desse porte. É muito legal você poder competir de igual para igual e disputar posições no grid com nomes históricos do automobilismo. Só tenho a agradecer ao Vicente (Sfeir) e toda equipe Shell Fittipaldi pela oportunidade de estar perto de grandes pilotos”, avaliou Thiago, que completou 21 anos no dia da competição.

“A corrida foi bem disputada e a gente tinha uma chance de real de conseguir um excelente resultado, mas no final o problema com o motor acabou com os planos. Mas isso faz parte… fizemos uma corrida de mais de 11 horas sem ter nenhum problema com o carro, fizemos o trabalho que foi proposto e nos divertimos e aprendemos muito. Vamos para a próxima”, completou.

Reconhecimento aos parceiros
Como uma forma de homenagear o casal Luciano e Juliana, da Art Infinity, Thiago presenteou os dois com o macacão utilizado para disputar as 500 Milhas. Essa foi a forma que o piloto achou para agradecer e reconhecer o trabalho da equipe responsável pela pintura dos capacetes dele desde a época de Cadete, no kart. “Eles realmente merecem toda forma de homenagem. Há dois anos eu dei um capacete para eles e agora estou dando o macacão, agora eles têm um ‘kit Vivacqua’ quase completo aqui”, brincou o piloto.

Para a temporada 2018, Thiago está estudando algumas oportunidades e ainda não definiu o futuro. No início de dezembro, o brasileiro testou carros da GP3 e Fórmula 2, no circuito de Yas Marina, em Abu Dhabi, e conseguiu uma rápida adaptação nas duas categorias.

Saiba mais sobre o piloto Thiago Vivacqua: www.thiagovivacqua.com.br

Por Fernanda Gonçalves / Caio Scafuro